A Semana em voo picado: endémica ou pandémica, eis a questão?!

Na segunda-feira Graça Freitas revela, em entrevista ao Jornal de Notícias e à TSF, que apenas 0,1% das pessoas com vacinação complecta, contraíram o vírus SARS-COVII, numa mensagem de confiança na eficácia das mesmas. Assim, a Directora-Geral da Saúde, acredita que já a partir de setembro será possível começar a retirar algumas das restrições para começarmos a aprender a conviver com o vírus.

Parece-me bem… como digo no meu texto da ultima quinta-feira (Link), já é tempo de começar a ajustar as medidas de contenção a uma nova fase da pandemia, bem distinta daquelas que vivemos no ultimo ano e meio.

Depois de já ter sido condenado no âmbito do processo face oculta, na terça-feira Armando Vara é, novamente, condenado agora no âmbito do processo Marquês por crime de branqueamento de capitais. Em causa a transferência de cerca de dois milhões de euros para uma conta na Suíça da qual, Armando Vara, era o principal beneficiário. Agrada-me, pois, que o processo Marquês avance e se prove tudo o que houver para provar… mas que não seja apenas Armando Vara a servir de exemplo!

Ainda na terça-feira ficamos a conhecer as conclusões da plataforma Covid-19 Insights, composta por especialistas da COTEC Portugal e da Nova Information Management School. Segundo estes especialistas o crescimento do número de casos não deve ser encarado como sendo assustador uma vez que, como afirma Pedro Simões Coelho, “seis mil casos, hoje, não têm a mesma gravidade que tinham de Janeiro a Março, porque se traduziam em internamentos e em mortes”.  Mais um contributo para que avancemos com novas medidas mais ajustadas à situação actual!

Photo by John Cameron on Unsplash

Entretanto a farmacêutica Moderna anuncia que está a iniciar Ensaios Clínicos, de fase II, para uma nova vacina mRNA, desta vez contra a Gripe Sazonal. É uma boa noticia… pois trata-se de mais uma prova de confiança de uma das tecnologias chave que nos tem ajudado a sair desta crise do COVID-19. Mas trata-se, sobretudo, de uma noticia que levanta a possibilidade de virmos a ter vacinas combinadas para a Gripe, a COVID-19 e outras doenças respiratórias… uma opção bastante interessante tendo em cnta que teremos de viver com este vírus por alguns anos mais.

Na quarta-feira o governo tem uma vitoria sobre o parlamento, com o Tribunal Constitucional (TC) a considerar que algumas das normas aprovadas na assembleia, em Março último, relativas aos apoios no estado de emergência, violam a travão sendo, por isso mesmo, inconstitucionais. Apesar disto este tribunal decidiu proteger os efeitos produzidos por estas normas até a publicação deste acórdão, optando pela não retroactividade desta declaração de inconstitucionalidade.

O governo reagiu com satisfação ressalvando que fica agora claro o que cabe ao Governo e o que cabe ao parlamento… 

Marcelo Rebelo de Sousa, que tinha promulgado as normas agora chumbadas, desdramatiza valorizando o facto de muitas pessoas terem beneficiado desses apoios numa altura em que os mesmos eram muito necessários. 

Ainda na quarta-feira, o Expresso dá-nos conta de que algumas farmácias aderentes à comparticipação a 100% de testes rápidos à COVID-19, não estarem a conseguir facturar nem disponibilizar os mesmos testes conforme previsto. A culpa parece ser de um problema informático que urge resolver… A disponibilidade de testes é, a par da vacinação, fundamental num regresso á normalidade e as farmácias o meio mais eficaz para os fazer chegar as populações!…

Na quinta-feira o Governo anuncia que irá legislar sobre as margens de venda dos combustíveis de modo a evitar subidas duvidosas e forçar a descida sempre que as mesmas se justifiquem. O princípio parece-me defensável… mas confesso que me dá urticária de cada vez que o governo se mete no funcionamento do mercado… mais ainda quando é o estado (através dos impostos) um dos causadores principais dos altos preços dos combustíveis em Portugal.

Mas quinta-feira é, sobretudo, o dia marcado pela aprovação, em conselho de ministros, do primeiro Plano Nacional de Combate ao Racismo e à Discriminação. Um plano que abrange o período de 2021 a 2025 e que pretende “concretizar o direito à igualdade e à não discriminação como alicerce da democracia”. Uma iniciativa para aplaudir… Bravo, António Costa… 

Na sexta-feira foi a vez de um grupo de Médicos e Farmacêuticos divulgarem uma carta aberta contra a tomada de “medidas extraordinárias de confinamento” para combater a pandemia. Uma vez mais, um grupo de pessoas, especialmente habilitadas, defendem que estamos a entrar na fase endémica (já não pandémica) e que, por isso mesmo, não é razoável que se continue a combater a actual situação com as mesmas medidas de outrora, quando vivíamos o caos nos sistemas de saúde e com níveis de internamentos, internamentos em UCI e mortalidade muitos distantes do que agora se observam.

No sábado são divulgadas as conclusões da Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI), à atuação da PSP nos festejos do campeão Nacional de Futebol, colocando Eduardo Cabrita, novamente, sob pressão. Segundo o IGAI, o Ministério da Administração Interna terá ignorado, durante cerca de 2 meses, um pedido do Sporting para preparar os festejos…  sendo que o ministro terá, ainda, assinado um ofício autorizando a solução acordada pelo clube e pela Câmara de Lisboa, apesar das posições contrárias por parte da DGS e da PSP.

Como é habito, Eduardo Cabrita, volta a empurrar responsabilidade para “outros”… desta vez para o Sporting e para a Camara Municipal!… 

Enfim… mais do mesmo… mas mau demais para ser verdade… até quando vai durar Eduardo Cabrita?

No domingo é publicada mais uma sondagem da Aximage, reflectindo uma penalização tanto para Marcelo Rebelo de Sousa como para António Costa que registam a pior avaliação do último ano. Marcelo continua a ser, ainda assim, o responsável político, em que os inquiridos mais confiam. Será que as divergências entre Governo e Presidente os estão a penalizar aos dois? Ou será que este é um resultado contingencial?… só as próximas sondagens nos ajudarão a saber!

No balanço dos números da pandemia, Portugal fecha a semana com crescimento tanto no número de infectados como nos internamentos e mortes!… Ainda assim a subida destes últimos continua a não acompanhar os números de infectados… confirmando a tendência das últimas semanas. Quanto á Matriz de risco continuamos na zona vermelha, agora com uma incidência de 355,5 casos de infecção por 100 mil habitantes em 14 dias… e com um R(t) de 1,12. 

Esperemos, pois, que, com o avançar da vacinação…. e com a disponibilidade de mais testes, as próximas semanas nos possam trazer uma tendência diferente da observada até aqui.

Uma boa semana para todos.

Gostou do que leu? Então, ajude-me a crescer seguindo este Blog e partilhando nas redes sociais!

#SemanaEmVooPicado; #PoliticaPortugal; #ActualidadePolitica; #SociedadePortugal; #DemocraciaParticipativa

Publicado por Hugo Barbosa

Empenhado em deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrei!

2 opiniões sobre “A Semana em voo picado: endémica ou pandémica, eis a questão?!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: