Autor Convidado: João Lopes

“Do not go gentle into that goodnight, Old age should burn and rave at close of day”

  1. INT. QUARTO, FAMALICAO – NOITE 

Antes de mais gostaria de agradecer ao Hugo pelo convite especial para ser o convidado especial desta semana. Começo este texto com uma frase de um poema de Dylan Thomas e que aparece na minha mais recente curta-metragem “Drowning” e que tive o prazer de ganhar o prémio de melhor filme estudante e melhor ator num festival em Londres chamado ‘Falcon Internacional Film Festival’. Para vos explicar como fui finalista deste festival, tenho de vos explicar como é que tudo isto começou. Irei dividir este texto por cenas e essas cenas serão todas as escolhas que eu tomei até conseguir vencer o meu primeiro prémio. Nesta cena, sou só eu sentado no meu quarto a escrever este texto.

FLASHBACK TO:

2. EXT. ESCOLA ARTÍSTICA E PROFESSIONAL ÁRVORE, PORTO – DIA 

Ano de 2013, encontrava-me a iniciar um novo capítulo na minha vida. Quem me conhece sabe que, estudar nunca foi o meu forte. Estava a repetir o décimo ano, num curso profissional e numa área que “queria” multimédia. Que “queria” porque na altura só queria ir para um curso que gostasse minimamente e que fosse mais fácil! Sem saber o porquê, comecei a ganhar um gosto por câmaras e por filmar. No final do terceiro ano do curso, encontrava-me novamente com uma decisão por fazer e que, na altura, para mim era óbvia.

PAIS

João, devias ir para a faculdade! 

FADE TO:

3. EXT. UNIVERSIDADE CATÓLICA, PORTO – TARDE

JOÃO

Eu? Ir para a faculdade? Nem pensar.

Como já mencionei em cima, eu não era um jovem que gostava de estudar, de todo e ter que estudar por mais três anos? Não! E achava que a faculdade não me iria trazer alguma coisa de novo para a minha vida pessoal ou profissional. Felizmente, depois de várias conversas, e por poder ver o impacto que ser estudante universitário estava a trazer no meu irmão, eles convenceram-me a ir para a faculdade. O único sítio onde eu conseguia entrar, era na Universidade Católica Portuguesa, no curso de Som e Imagem. Rapidamente me apercebi, que teria sido um grande erro, se eu tivesse optado por não ir para faculdade, por isso estou eternamente grato pela influência que a minha família teve e tem em mim. 

Foram três anos bastante intensos, desde o próprio curso, desde o voluntariado até realizar a minha primeira curta-metragem. O curso profissional deu-me bastante experiência a nível prático, enquanto a licenciatura deu-me a parte teórica, desde como escrever um guião até como fazer a pré-produção do mesmo.

Foi no meu terceiro ano que nasceu a minha primeira curta-metragem “Entre Eles”, como projeto final de curso e o meu desejo de ser realizador, apesar que só mais tarde me ter apercebido disso. “Entre Eles” é a história de uma mãe que numa viagem de carro se apercebe que não tem qualquer relação com o filho. Foram dois dias incríveis de rodagens que me fizeram perceber que é cinema o que eu quero fazer. 

Enquanto eu estava a fazer a pré-produção deste filme, numa conversa aleatória com uns amigos surgiu uma ideia.

JOÃO

Quero realmente estudar cinema e ter uma experiência completamente diferente desta que estamos a ter.

AMIGOS

E se fossemos fazer mestrado fora?

JOÃO

E se fossemos para Londres?

FADE TO:

4. INT. MIDDLESEX UNIVERISTY, LONDON – NOITE

30 de setembro de 2019 embarcava num avião com destino ao aeroporto Stansted em Londres. Iniciava, mais uma vez, uma nova etapa na minha vida. Nos primeiros meses encontrava beleza em todos os cantos, ou era pelas pessoas falarem inglês, ou por andar no metro underground, ou por pedir o típico ‘English breakfast’ (chã preto), ou pelos carros andarem do outro lado da estrada, ou por estar a viver na residência universitária e rodeado de pessoas de todas as partes do mundo. 

Dias depois, estaria a ter a minha primeira aula no meu mestrado em Filme na Universidade Middlesex. Estava focado para conseguir aproveitar o máximo do curso e empenhar-me ao máximo em cada projeto. Deste mestrado nasceram 4 projetos. Uma recriação de umas das minhas cenas favoritas da série Euphoria. Um documentário sobre o que é o AMOR? Neste documentário vemos várias perspectivas diferentes sobre o AMOR. Outro documentário de uma associação de voluntariado, Food for All. Por fim, a minha tese que foi a minha segunda curta-metragem, escrita e realizada por mim, “Drowning”. Se o curso profissional tinha-me dado a parte prática e a licenciatura a parte teórica, o mestrado foi o colmatar destas duas coisas e  por isso, tirei o melhor proveito possível. 

Estudar em Londres foi tudo o que estava a espera que fosse. Uma cidade que fez com que eu fosse mais criativo do que usual. Uma aventura cheia de emoções e de histórias para contar que, infelizmente, acabou cedo demais porque uma pandemia acabou por atingir o mundo e as nossas vidas tiveram de mudar.

FADE TO:

5. EXT. PRAIA – SUNSET 

It feels like those summer days, where the temperature outside is 30º, and the sky is bright and a vibrant shade of blue. 

BACKGROUND MUSIC STARTS

We can hear the waves crashing on the shore, the wind, the birds, and the flowers moving. 

ELDERLY PERSON (V.O)

“Do not go gentle into that good night, Old age should burn and rave at close of day. Rage, rage against the dying of the light.

Aqui deixo um excerto inicial da minha mais recente curta-metragem “Drowning”. “Drowning” nasceu de um local muito pessoal e conta a história de uma crise emocional de um jovem que não consegue lembrar-se da sua última memória com a sua avó. Eu sempre vi o cinema como uma forma de expressar, como uma maneira de nos mostrarmos às pessoas algo que vivemos, mas que não conseguimos propriamente falar. Por isso, esta curta foi uma maneira de eu mostrar algo que se passou comigo e de certa forma, uma homenagem a minha avó. Graças a este projeto eu consegui perceber que sou realmente feliz a criar histórias e a fazer cinema. 

O filme foi rodado durante quatros dias bastantes intensos em Vila Nova de Famalicão. Houve “algo estranho” que eu gostaria de vos contar.  Durante os últimos dias de rodagens, eu estava sempre preocupado com o tempo, pois nós iriamos filmar uma cena de madrugada no exterior e seria umas das cenas mais importantes, e a minha querida amiga e produtora Rafaela Sousa dizia-me “não te preocupes João que vamos conseguir filmar”. Durante a última noite, nós tivemos em rodagem durante a noite toda e em seguida gravaríamos essa tal cena. Tinha chovido a noite toda, mas mesmo assim, a esperança da Rafaela mantinha-se. Fomos para o local e por algum milagre, não chovia. Fizemos dois ensaios com o ator e com a equipa, em seguida gravamos dois takes. O ator diz-me que esta exausto e que só consegue realmente gravar mais uma vez e que têm de ser desta. Tudo a postos, começamos a filmar e correu tudo super bem. Eu grito a mágica palavra: IT’S A WARP!!Dou um discurso de três minutos, abraçámo-nos todos, tiramos uma foto e não é que começa a chover torrencialmente? Pois. É daquelas coisas que me deixam sem palavras. 

Meses depois tive oportunidade de fazer uma apresentação, onde falava com a vereadora da juventude Sofia Fernandes, sobre o filme e todo o apoio que recebi pela câmara de Vila Nova de Famalicão, e em seguida mostrava o filme. O feedback foi algo excecional e mesmo eu próprio estava sem palavras. Estava a expor algo muito pessoal para aquele grupo de pessoas e essas pessoas, algures na sua vida, conseguiam-se relacionar com a minha história.

FADE TO:

6. INT. FALCON FILM FESTIVAL, LONDRES – MADRUGRADA

Eram por volta das duas da manhã e eu recebo um mail a dizer: You won the best student film at Falcon Film Festival. Imediatamente, fiquei com um sentimento de orgulho, por sentir que esta curta estava a ser reconhecida por outras pessoas e que ainda tinha mais valor do que eu estava a espera. Ser reconhecido como melhor filme estudante deu-me ainda mais vontade de continuar a criar as minhas próprias histórias e de que é ISTO O QUE EU QUERO REALMENTE FAZER. Na manhã seguinte, acordo com a minha mãe a mostrar-me que o meu ator principal tinha ganho melhor ator de todo o festival. Para ainda tornar as coisas mais bonitas, nós conseguimos ganhar melhor filme estudante e melhor ator. Fiquei incrivelmente feliz por todo o reconhecimento que estávamos a ter e pelo reconhecimento que o Diogo Fernandes (ator principal) estava a ter, pois, ele fez um gigante trabalho e é um belíssimo ator. Gostaria de agradecer a toda a gente, que de certa forma teve um impacto na minha vida, para que eu me tornasse na pessoa que sou hoje.

FADE TO BLACK:

ROLE CREDITS

END OF THE CREDITS.

THE END

Gostou do que leu? Então, ajude-me a crescer seguindo este Blog e partilhando nas redes sociais!

#SociedadePortugal; #InternationalCareers; #FollowYourDreams

Publicado por Hugo Barbosa

Empenhado em deixar o mundo um pouco melhor do que o encontrei!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: